Tratadora de fotos da Victoria’s Secret faz revelações impressionantes

0
90
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Tratadora de fotos da Victoria’s Secret faz revelações impressionantes
Health - incommunseries

O site de moda Refinery 29 conversou com uma tratadora de imagens, responsável por fazer os retoques nas fotos das modelos da Victoria’s Secret. Anonimamente, ela compartilhou algumas curiosidades impressionantes.

Todos nos que somos bobinhos sabemos que não é novidade que essa prática é recorrente em campanhas, mas muitas das etapas por traz das manipulações são desconhecidas do público, confira abaixo!

Os retoques já existiam antes mesmo do photoshop

Todo esse grande esquema de mudança corporal começou com a necessidade de pós-produção fotográfica. Ou seja, depois do ensaio pronto, era preciso ajustar cores para que o público conseguisse ver com mais clareza, ou até mesmo deixar uma textura mais evidente. Até que alguém pensou que se era possível mudar o fundo das fotos, também era possível modificar o corpo das modelos.

A modificação do corpo começa no set

A tratadora de imagens revelou que frequentemente acompanha as sessões fotográficas das modelos da Victoria’s Secret e que existem vários truques para se chegar ao tal “corpo ideal” que a marca sugere. Segundo ela, o primeiro deles é colocar extensão capilar. “Eu não me lembro de ter ido a algum ensaio em que a modelo usou seu cabelo natural”, conta. “Depois, eles aumentam os seios das modelos e transformam seus corpos com enchimento. Se você pegar um maiô na mão, perceberá que ele é muito pesado por conta disso”, completa. E diz que não é uma prática exclusiva da marca de lingeries.

Nenhum corpo é como na fotografia

Depois desse processo de modificação artesanal do corpo, começa o procedimento digital. Os enchimentos são “modelados” de forma a parecer mais natural, os mamilos, se aparentes, são apagados, e os seios aumentados ainda mais. “Todas as modelos modelos ficam com as axilas cinzas na câmera. Não importa o quão bem ela tenha se depilado, ainda assim aparecerá uma sombra”, ela diz.

“Algumas delas, inclusive, nem raspavam mais. Elas vêm para o ensaio e levantam os braços na clássica pose de praia e há pelos nas axilas, como em qualquer pessoa normal, mas precisamos retocar e fingir que eles não existem”.

Ela ainda revelou uma curiosidade chocante: segundo ela, outra prática padrão é “adicionar carne aos ossos das modelos”. Ela explica que por mais que pensemos que os retoques são para fazer com que as celebridades pareçam mais magras, na verdade “Elas são mais esqueléticas do que você imagina, nós manipulamos para que elas fiquem mais ‘arredondadas’, nós adicionamos curvas digitalmente”.

Por que não usar modelos com curvas?

Para não precisar usar tanto photoshop, a solução seria usar modelos que se parecem mais com os resultados das fotos, certo? A profissional declara que há uma ideia enraizada de que pessoas assim não vendem.

Isso porque esse padrão de beleza já está tão impregnado na cabeça do mundo inteiro que as mudanças não são aceitas. Ela, inclusive, descreve que a Victoria’s Secret já tentou usar modelos com corpos mais definidos e pararam de fazer isso porque os consumidores não pagavam pelos produtos.

No fim, o capitalismo é quem manda

“A razão por trás dos retoques nos corpos é porque elas estão tentando te vender algo”, diz. As marcas refletem as demandas do mundo, como as pessoas gostariam de ver as coisas, para vender produtos de beleza, revistas e lingeries. Por exemplo, todas as pessoas têm pelos pubianos, mas se você mostrar isso em uma campanha ninguém vai comprar, porque vão achar que a foto é muito estranha”.

A manipulação digital, reduz os vários tipos de corpos existentes em um só, homogeneizado. Dessa forma, quando vemos alguém diferente, nós notamos. Quando se trata de hábitos de compra, isso é uma coisa ruim porque estamos acostumados a rejeitar o diferente. Portanto, o “mesmo” vende.

Não é só na indústria da moda

Apesar de ser mais decorrente no âmbito da moda, esses retoques estão presentes em tudo. Nem o Instagram escapa. “Só um lembrete, as fotos fitness não são reais. Mesmo que eles não façam isso digitalmente, (o que frequentemente o fazem), eles estão adotando truques de luzes, poses e ângulo da câmera usadas em ensaios profissionais. E quando você está manipulando essas coisas para parecer que tem outro corpo, é quase a mesma coisa do digital”.

Sarah ainda revela que mesmo quando usam modelos plus sizes, há muitas alterações. Isso porque por mais que a proposta do ensaio seja mostrar pessoas com mais curvas, é preciso deixá-las “mais padronizadas”. “Eles deixam o pescoço mais estreito, porque é uma coisa feminina e delicada. Retocam pulsos, tornozelos e quadris”.

Se retocar não adianta, é só trocar os corpos

Se tudo o que você já leu acima ainda não te deixou assustada, prepare-se. Lembra quando a Lena Dunham foi ao Twitter reclamar que a revista espanhola Tentaciones tinha retocado sua foto de forma exagerada? “É uma sensação estranha ver uma foto e não saber se aquele é mais seu corpo”, disse Dunham. Pois é exatamente o que acontece.

“Trocar os corpos é bem comum”, diz. “Eles pedem para trocar os braços dessa modelo por de uma outra garota porque ficou estranho na foto. Gestos esquisitos normalmente são consertados dessa maneira. Às vezes, retocar não tem a ver só em criar um corpo ideal, mas também evitar críticas à imagem”.

Ou seja! Nada é o que parece. Sobre as fotos fitness eu já sabia. Todos os modelos fitness em sua maioria – Gabriela Pugliesi – sabe posar para as fotos fazendo com que seus corpos fiquem mais sarados.

via Elle

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.